Contrabando

    - Acautele-se, meu filho! Fuja de qualquer desrespeito ao caminho legal. Resigne-se ao dever. O trabalho honesto á a vida segura. Pode haver embaraço, sim. Pode haver. Mas o suor na obrigação bem cumprida é o preço correto da verdadeira felicidade! – assim falava o Espírito de Da. Maria Clara ao seu filho Leonardo, através do médium. – Não queira contrabando. Você é tintureiro. Cuide da roupa limpa, que é serviço de Deus. Lembre-se de que, às vezes, tudo exigindo, costumamos tudo perder. A criatura tem livre-arbítrio para melhorar o destino ou agravá-lo, todos os dias.

    Entretanto, ali mesmo, ao término da sessão, Leonardo Madeira falava aos amigos:

    - Ora, ora. Minha mãe mora noutro mundo... Aposto que mudaria se estivesse no nosso...

    Tenho um filho para educar e o colégio é um osso duro... Minha vida é meu filho. Jurei que não terá de futuro as minhas dificuldades...

    - Mas ouça, Leonardo – falava Serra, um dos diretores do templo -, você precisa considerar... Se você realmente negocia de forma clandestina...

    - Clandestina, por que? Meu trabalho é tão lícito quanto os outros. Compro e vendo, é tudo que faço.

    E Leonardo continuou. Ricardo era o filho feliz.

    Para estudos de Ricardo, passeios de Ricardo, exigências de Ricardo e loucuras de Ricardo, fizera-se o receptador de perfumes e isqueiros, revólveres e rádios, no comercio ilegal.

    Burlava, com esmero, os agentes do fisco. E a renda aumentava. Chegou, porém, a noite de enorme desilusão.

    Recebera Leonardo três revólveres finos para passa adiante. À noite, o filho, alcoolizado em festa junina, chega em casa e deslumbra-se.

    Observa um exemplar, apalpa o outro, ainda o terceiro. Por fim, simpatiza mais fortemente com um deles. E tem a idéia louca de disparar, como complemento aos folguedos daquela noite.

    Carrega a arma e experimenta, mas os dedos tremem, altera-se a direção e a bala lhe vara o peito. Rebuliço. Gritaria. Corre-corre. Ambulância. Mas, em poucos minutos, Leonardo, desalentado, recolhe o filho morto.


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior

    Acesse todas as Mensagens