A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

O sovina Juquinha do Imbuzeiro
Saiu cobrando juros de avarento
A quem rogava prazo e abatimento,
Exigia dinheiro e mais dinheiro.

Pôs em leilão a casa do Loureiro,
Despojou a viúva do Sarmento,
Tomou cavalo, carro e mantimento
Dos filhos do finado Zé Monteiro.

Mas ao tomar o anel de Dona Aninha,
Uma voz disse a ele: "_ vem Juquinha."
Ele caiu gritando: "_ Deus me valha!".

Era a morte a buscá-lo em tempo estreito,
E Juquinha se foi de dor no peito
Sem levar o dinheiro na mortalha.


Por: Cornélio Pires, Médium: Francisco Cândido Xavier


Tags

CORNÉLIO PIRES

Leia Também:

Três Trovas: por Cornélio Pires
Ódio e Vida: por Cornélio Pires
Compromisso e União: por Cornélio Pires
Convite Geral: por Cornélio Pires
Paixão de "Sá" Biluva: por Cornélio Pires

Avalie Esssa MSG

0 Voto(s) 0 Voto(s)

Comentários