A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

Construísse palácios que assombram a Terra; entretanto, se me largas ao relento, porque me faltem recursos para pagar hospedagem, é possível que a noite me enregele de frio.

Multiplicaste os celeiros de frutos e cereais, garantindo os próprios tesouros; contudo, se me negas lugar à mesa, porque eu não tenha dinheiro a fim de pagar o pão, receio morrer de fome.

Levantaste universidades maravilhosas, mas, se me fechas a porta da educação, porque eu não possua uma chave de ouro, temo abraçar o crime, sem perceber.

Criaste hospitais gigantes; no entanto, se não me defendes contra as garras da enfermidade, porque eu não te apresente uma ficha de crédito, descerei bem cedo ao torvelinho da morte.

Proclamas o bem por base da evolução; todavia, se não tens paciência para comigo, porque eu te aborreça, provavelmente ainda hoje cairei na armadilha do mal, como ave desprevenida no laço do caçador.

Em nome de Deus que dizes amar, compadece-te de mim! ...

Ajuda-me hoje para que eu te ajude amanhã.

Não te peço o máximo que alguém te venha a solicitar em meu benefício ...

Rogo apenas o mínimo do que me podes dar para que eu possa viver e aprender.


Por: Meimei, Do livro: Luz no lar, Médium: Francisco Cândido Xavier - Espíritos diversos


Leia Também:

A Criança: por Emmanuel
Desabafo de uma Criança: por Desconhecido
Ensinando os Filhos: por Momento Espírita
Filho Deficiente: por Joanna de Ângelis
Prece da Criança que ainda não Nasceu: por Emmanuel

Avalie Esssa MSG

1 Voto(s) 0 Voto(s)

Comentários