Mediunidade e Doutrina

    Em Espiritismo, é imperioso distinguir entre Mediunidade e Doutrina para que as surpresas do mundo não nos ensombrem a marcha.


    Mediunidade é processo
    Doutrina é realização
    O processo passa
    A realização permanece.

    Mediunidade é caminho
    Doutrina é bússola
    O caminho pode bifurcar-se
    A bússola guia sempre.

    Mediunidade é pormenor
    Doutrina é base
    O pormenor é superfície
    A base é substancia.

    Mediunidade é trato de terra
    Doutrina é semente nobre
    A leira obedece aos ditames do lavrador
    A semente nobre enriquece a vida.

    Mediunidade é argumento
    Doutrina é lógica
    O argumento é variável
    A lógica é inamovível.

    Mediunidade é fenômeno da alma.
    Doutrina é alma do fenômeno.

    A mediunidade inclui a telementação e a letargia, a sugestão e a hipnose.
    A doutrina é responsabilidade, estudo edificante, serviço ao próximo e sacrifício pessoal.

    Na primeira, temos a observação e a experiência; na segunda, a educação e a caridade.
    Em tese'>síntese, a Mediunidade é trabalho da criatura humana e a Doutrina Espírita é Jesus de braços abertos.

    Dignifiquemos, assim, a mediunidade com a nossa consagração ao bem puro e simples, mas não nos esqueçamos de plasmar a Doutrina Espírita no livro da própria alma, a fim de que o nosso coração se converta em flama da Vida Eterna.


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior | Ouça o conteudo



    Acesse todas as Mensagens