Saiba por que a Doutrina Espírita não realiza cerimônia de casamento

Muitos se perguntam há cerimônia de casamento na Doutrina Espírita.

Algumas vezes a mídia voltada às celebridades divulga artistas que realizaram “casamento espírita”.
A doutrina codificada por Allan Kardec ensina que no espiritismo não há rituais, dogmas e liturgias sacramentais.

O Espiritismo orienta que a família é à base da sociedade, que a união das pessoas deve acontecer entre suas almas e não simplesmente de forma corporal.

Os casais se formam para dar prosseguimento aos planos traçados antes da reencarnação. Uma família é formada por espíritos afins ou pela necessidade de estarem juntos, com o objetivo do progresso intelectual, moral e espiritual.

A união entre almas dispensa aparatos religiosos e festas luxuosas. Os espíritas podem até reunir amigos e familiares para uma celebração da união, contando com um dirigente espírita para falar algumas palavras do Evangelho Segundo o Espiritismo sobre a importância do casamento e do amor, mas isto não se configura como uma cerimônia de casamento espírita.

O Espírito Santo Agostinho fala sobre a família no livro o Evangelho Segundo o Espiritismo:
“Formam famílias os espíritos que a analogia dos gostos, a identidade do progresso moral e a afeição induzem a reunir-se. Esses mesmos espíritos, em suas migrações terrenas, se buscam, para se agruparem, como o fazem no espaço, originando-se daí as famílias unidas e homogêneas. Se, nas suas peregrinações, acontece ficarem temporariamente separados, mais tarde tornam a encontrar-se, venturosos pelos novos progressos que realizaram. Mas, como não lhes cumpre trabalhar apenas para si, permite Deus que espíritos menos adiantados encarnem entre eles, a fim de receberem conselhos e bons exemplos, a bem de seu progresso.
Esses espíritos se tornam, por vezes, causa de perturbação no meio daqueles outros, o que constitui para estes a prova e a tarefa a desempenhar.
Acolhei-os, portanto, como irmãos; auxiliai-os, e depois, no mundos dos espíritos, a família se felicitará por haver salvo alguns náufragos que, a seu turno, poderão salvar outros”. (Paris,1862 – cap.XIV – Honrar vosso pai e vossa mãe – ESE)

Portanto a cerimônia pode ser importante ainda para algumas pessoas, mas a verdadeira união de laços afetivos é a prioridade em um casamento.


Fonte: RBN



A+ | A- | Notícia Anterior | Posterior

Datas Importantes do Espiritismo

MAIO

Dia 01 de 1880
Nasce na cidade de Sacramento, MG, Eurípedes Barsanulfo. Desencarna em 1º de novembro de 1918.
Dia 01 de 1985
Divaldo Pereira Franco concede entrevista de 15 minutos à Rádio Paralelo 22, de Johannesburg, África do Sul.
Dia 02 de 1827
Nasce em Tulle, França, Pierre-Gaëtan Leymarie. Desencarna em 10 de abril de 1901, em Paris.
Dia 02 de 1980
Em São Paulo, SP, desencarna Silvino Canuto de Abreu, jornalista, escritor, conferencista e pesquisador espírita. Nascido em Taubaté, SP, em 19 de janeiro de 1892.
Dia 02 de 1981
Divaldo Pereira Franco recebe o título de cidadão honorário de Uberlândia, MG.
Dia 02 de 1995
Divaldo Pereira Franco concede entrevista à TV C. 12 de Cochabamba, Bolívia.
Dia 03 de 1944
Nasce em Apucarana, PR, Milton Gonçalves, trabalhador espírita da região noroeste do Estado. Foi Presidente da 8ª União Regional Espírita, sediada em Paranavaí, onde desencarna em 2 de outubro de 1994.
Dia 03 de 1949
Em Liège, Bélgica, desencarna José Lhome, divulgador do Espiritismo, Presidente da Federação Espírita da Bélgica. Nascido na mesma cidade, em 14 de junho de 1881.
Dia 04 de 1978
Em Teresópolis, RJ, o Grupo Espírita Isabel, a Redentora realiza a Primeira Semana Espírita da cidade,... Saiba mais...