A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

Alguns de nós gostamos de planejar tudo com muita antecedência.

Assim, esquematizamos o tempo para conclusão da faculdade. Depois, a especialização, o mestrado, o doutorado.

Enquanto tudo isso acontece, por vezes, nos esquecemos da família. Daquela a qual pertencemos e daqueloutra que construiremos algum dia.

Quando adiamos e adiamos a construção de um novo lar, pode acontecer de nos ressentirmos de uma companhia ao lado. Alguém que nos fortaleça, que vibre conosco.

Lembramos de uma ex-seringueira, do interior do Acre, mãe de quatorze filhos.

Seu sonho era que seus filhos pudessem estudar. Adentrar a Universidade. Conseguir um diploma.

Quando surgiu a oportunidade de transferir residência para uma localidade que oferecia possibilidade de frequência à escola, não pensou duas vezes.

E o que valeu, mesmo após a morte do marido, foi a união de todos, pelo mesmo ideal.

Os filhos estudavam em um período e ajudavam no serviço rural no outro.

A questão das roupas de que precisavam foi resolvida de forma peculiar.

Os que estudavam à tarde esperavam os que chegavam do turno da manhã para poderem usar as suas roupas.

Juntos, enfrentaram e transpuseram as dificuldades, animando uns aos outros.

A mãe os desejava diplomados. E cada um deles queria abraçar determinada carreira, que lhes exigia o curso universitário.

Atualmente, onze dos filhos já concluíram a faculdade e auxiliam os menores, para que consigam, de igual forma.

A mãe, vitoriosa, pode ver seu sonho concretizado.

Família é união de ideal e de forças.

Concretizar um sonho é importante. Mais importante, no entanto, é aprender, no lar, a lição da cooperação, do auxílio uns aos outros.

Por vezes, inclusive, algumas renúncias para que o outro possa chegar antes ao objetivo que almeja.

De um modo geral, planejamos nossa família, antes de ingressarmos no corpo carnal.

Nossos pais, irmãos, parentes. Todos os que compõem o nosso universo familiar.

Nem sempre é fácil nos desincumbirmos dos deveres estabelecidos. Mas, para quem realiza esforços no bem diário, buscando a superação de si mesmo, nada será demasiado difícil.

A família é o ninho das construções mais íntimas. É ali que temos as primeiras experiências sociais, que nos auxiliarão a bem viver em sociedade.

Como vivemos no lar, viveremos na sociedade. Se aprendermos a dividir, auxiliar, cooperar, será dessa forma que, como cidadãos, atuaremos no mundo.

Sonhos vividos e conquistados em conjunto se tornam mais preciosos. Quando um membro da família conquista uma vitória, ela é de todos.

E todos a comemoram, com sorrisos, com lágrimas de emoção, com muitos abraços.

Olhemos para nossa família e pensemos o quanto mais podemos colaborar. O quanto mais podemos contribuir para o crescimento do irmão, do cônjuge.

E o quanto podemos, como gratidão, felicitarmos os que colaboram para isso, com nosso afeto, nosso carinho. Também com nossas vitórias, coroando-lhes o esforço e tudo que em nós investiram.

Pensemos a respeito.


Por: Momento Espírita, Redação do Momento Espírita. Do site: http://www.momento.com.br/pt/ler_texto.php?id=6443&stat=0


Leia Também:

Intimamente: por Meimei
Quem São Nossos Pais: por Momento Espírita
Presença Amoroso: por Momento Espírita
Família: por Emmanuel
Adolescente Diante da Família: por Joanna de Ângelis

Avalie Esssa MSG

2 Voto(s) 0 Voto(s)

Comentários