Nossa Prece

    Ampara-nos, Senhor,
    Este repouso de amor
    Em que a paz nos descansa
    Porto, refúgio, lar,
    Em que podemos cultivar
    As bênçãos da esperança.

    Perante a caridade por dever,
    Faze-nos perceber
    Que nesta casa em que nos aconchegas,
    A todos nos entregas
    A bendita oficina
    Que nos renove a na Bondade Divina.
    De rotina em rotina
    E surpresa em surpresa,
    Deixa-nos discernir
    Que, em contemplando a própria natureza,
    Da rocha mais hostil ao solo mais fecundo,
    Tudo é auxílio na lei
    Se te atende na estrada ao lema de servir.

    Tudo é auxílio na lei
    Do firmamento ao chão. . .
    Serve o sol, serve o mar sem derramar-se em vão,
    O tronco não devora os frutos que oferece,
    A fonte ajuda e passa em sussurros de prece,
    O vento ampara a flor, a flor perfuma a vida,
    Faz-se pão e celeiro a semente esquecida. . .

    Ajuda-nos, Senhor a repartir o bem
    Sem traçar condições, sem perguntar a quem. . .
    Aspiramos a ser contigo, dia a dia,
    Bálsamo, reconforto, união, alegria,
    Agasalho do templo e coração da escola,
    O prato que alimenta e o verbo que consola. . .

    Concede-nos o Dom de cooperar contigo,
    Trabalhar e seguir pelo teu braço amigo.
    Tanto à luz do porvir quanto na luz de agora,
    Faze, por fim, Senhor,
    Que a nossa casa seja, hora por hora,
    Um caminho de para o Reino do Amor.


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior | Ouça o conteudo



    Acesse todas as Mensagens