A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

É imprescindível recordar o impositivo da perseverança no bem.

O comprazimento nessa ou naquela espécie de atitude ou companhia, leitura ou conversação menos edificantes, estabelece em nós o reflexo condicionado pelo qual inconscientemente nos voltamos para as correntes invisíveis que representam.

É desse modo que formamos hábitos indesejáveis pelos quais nos fazemos pasto de entidades vampirizantes, acabando na feição de arcabouços vivos para moléstias fantasmas.

Pensando ou conversando constantemente sobre agentes enfermiços, quais sejam a acusação indébita e a crítica destrutiva, o deboche e a crueldade, incorporamos, de imediato, a influência das criaturas encarnadas e desencarnadas que os alimentam, porque o ato de voltar a semelhantes temas, contrários aos princípios que ajudam a vida e a regeneram, se transforma em reflexo condicionado de caráter doentio, automatizando-nos a capacidade de transmitir tais agentes mórbidos, responsáveis por largo acervo de enfermidade e desequilíbrio.


Por: André Luiz, Do livro: Mecanismos da Mediunidade, Médiuns: Francisco Cândido Xavier e Waldo Vieira, Editora FEB


Leia Também:

Ainda: por André Luiz
Erradicação do Mal: por Albino Teixeira
Anote Sempre: por André Luiz
Perseverança no Bem: por André Luiz
O Poder do Bem: por Irmão X

Avalie Esssa MSG

0 Voto(s) 0 Voto(s)

Comentários