O Cristo Paciente

    Confrangido, observas que ao teu redor já não reagem com respeito ao que dizes; 
    amargurado, verificas que os amigos que pensavas fiéis se mostram indiferentes às tuas necessidades; 
    desgostoso, desistes de envidar esforços, modificando o meio e as pessoas com quem convives; 
    indiferente, agora prossegues em atitudes que cada vez mais afastam de ti os que te poderiam auxiliar; 
    continuas, assim, alheio à necessidade de modificação mental, saindo da faixa de amargura, negatividade e indiferença, despertando, permanentemente, para a verdadeira vida, e para a realidade do cristão: "servir o próximo, amando-o e fazendo a ele o que gostarias que te fizessem". 
    Prometes, em tuas orações, modificações, mas logo a seguir, persistes na vaidade que te cega, voltando, obstinado, a recair nos mesmos erros anteriores. 
    Estabelece, dessa maneira, padrão contínuo de ações e pensamentos doentios. 
    Enquanto o Evangelho te acena com a Paz, a tranqüilidade e a harmonia, tu te voltas, indiferente e indolente, para a porta fácil dos hábitos antigos. 
    O Cristo, todavia, paciente, continua a te esperar de braços abertos. Os Espíritos Amigos visitam teu íntimo, confuso e conflitado; recebes passes benfeitores, que se perdem, entretanto, no tumulto das tuas emoções desequilibradas, uma vez que permaneces o mesmo, encastelado no orgulho e amargurado pelas queixas. 
    Ainda, não compreendestes que a vida na carne é momentânea e passageira, apenas uma pequena parcela, na totalidade de tua verdadeira vida. Essa passagem, objetiva o teu progresso e a tua evolução, pelo ressarcimento das dívidas anteriores e não pelo acúmulo de novos débitos. 
    A contenção do espírito pela cadeia da matéria é momento evolutivo precioso para todos, a fim de que te consigam sobrepujar as necessidades das paixões físicas, os descontroles das emoções, disciplinando os pensamentos e as ações. Essa a finalidade da tua vida e de todos, na romagem da carne. 
    Se continuas o mesmo, indo e vindo, nos queixumes e azedumes típicos dos que não progridem, estarás desperdiçando valioso tempo, sempre na contra-mão da vida. Observa que o tempo de que hoje dispões te foi concedido como empréstimo, para que progridas. 
    Confia nos bons propósitos; multiplica os teus talentos; liberta-te da ganga aviltante dos sentimentos nocivos, cerceantes, e alça vôo, pelas obras, em direção ao Cristo paciente.


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior

    Acesse todas as Mensagens