Memória Viva - Uma Visita ao O Clarim em Matão

Embora resida em Matão há 20 anos e já conhecia o local – inaugurado em 2013 – em visitas rápidas e ocasionais, não havia parado ainda para uma visita formal, acompanhando cada detalhe de uma memoria viva da cidade e da história do Espiritismo no planeta.

No primeiro fim de semana de fevereiro/20, acompanhando visitantes a Matão, pude finalmente fazer uma visita oficial, direcionada por voluntária ali sempre presente.

Fui visitar com a esposa e sua mãe, acompanhando o pequeno grupo de Santo Antônio da Posse-SP (uma das integrantes fez palestras naquele fim de semana), o Memorial Cairbar Schutel, da Casa Editora O Clarim.

Inaugurado em 2013 (exatamente no dia da inauguração eu estava ausente da cidade), o moderno acervo em homenagem ao benfeitor Cairbar Schutel, cuja história pessoal integra-se completamente à história da cidade, merece ser visitado, conhecido, divulgado. Inclusive para grupos de outras cidades montarem caravana e virem conhecer o notável trabalho disponível com extensa e variada informação, com imagens, sons, utensílios, livros, entre outros detalhes que só mesmo uma visita oficial pode constatar ao vivo.

Muito organizado, primorosamente apresentado, é memória viva do grande seareiro espírita, cuja ação não se restringiu à atividade espírita, pois ali se encontram documentos e registros, fotos e fatos reunidos em reportagens de jornais da época, do ilustre cidadão (de amplas iniciativas sociais e humanitárias), amado e muito respeitado pela população, e do político que se tornou também o Primeiro Prefeito da cidade, estendendo suas ações de cidadania com grande competência e alcance em favor da população.

A historiadora Larissa Rizzatti Gomes – natural de Ribeirão Preto-SP e graduada em História pela UNICAMP, com vasta experiência em estágios e trabalhos de pesquisa histórica, higienização e preservação de documentos – foi a responsável pela coleção, montagem e distribuição visual do acervo de Cairbar, inclusive quanto ao designer perfeito para o acompanhamento cronológico dessa alma nobre que habitou em Matão, de onde se projetou internacionalmente. Schutel, por sua vez, tem história muito conhecida pela bravura d`alma, ousadia num tempo sem qualquer tecnologia e coragem no enfrentamento de preconceitos que sempre avassalam as nobres iniciativas. Nasceu em 1868 no Rio de Janeiro-RJ e no final do mesmo século instalou-se no então pequeno vilarejo como farmacêutico, construindo um legado que marcou a história. Sua desencarnação se deu em 1938, gerando grande comoção popular, aos 69 anos, e seu legado influenciou gerações de espíritas.

O Memorial, pois, merece ser visitado. Até porque, além do acervo material ali reunido, as vibrações do ambiente e as reflexões que promove no visitante – seja pelas frases nas paredes ou pelos esforços empreendidos numa época difícil e ali visíveis –, emocionam e conclamam ao esforço de continuidade, à perseverança diante dos obstáculos, à fé ali sugerida por um homem de bem. Sua ação não foi uma ação qualquer. Ali está o registro de uma alma ousada, consciente, bondosa, alegre e profundamente comprometida com a causa do bem, em vários aspectos. Deixou exemplos, mostrou caminhos, embora também tenha vivido e enfrentado inúmeras dificuldades em seu tempo.

Muitas caravanas já visitaram o Memorial. Mas a nossa sugestão é que as casas, grupos e cidades organizem também sua caravana para virem visitar o Memorial Cairbar Schutel.

Lembrando que é necessário agendamento prévio, via contato com a editora O Clarim.

A visita motiva integração, o Memorial mostra exemplos, registra historicamente a ação de um homem notável, impressiona pela quantidade de feitos e encanta pela organização e esmero com que foi pensado, organizado.

Trata-se realmente de uma história viva, da cidade e do movimento espírita no planeta. Visitá-lo significa respirar a alma e o sentimento de um verdadeiro cristão.


Orson Carrara - texto enviado para publicação em nosso site.



15/5/2020

Notícia Anterior | Posterior

Datas Importantes do Espiritismo

MAIO

Dia 01 de 1880
Nasce na cidade de Sacramento, MG, Eurípedes Barsanulfo. Desencarna em 1º de novembro de 1918.
Dia 01 de 1985
Divaldo Pereira Franco concede entrevista de 15 minutos à Rádio Paralelo 22, de Johannesburg, África do Sul.
Dia 02 de 1827
Nasce em Tulle, França, Pierre-Gaëtan Leymarie. Desencarna em 10 de abril de 1901, em Paris.
Dia 02 de 1980
Em São Paulo, SP, desencarna Silvino Canuto de Abreu, jornalista, escritor, conferencista e pesquisador espírita. Nascido em Taubaté, SP, em 19 de janeiro de 1892.
Dia 02 de 1981
Divaldo Pereira Franco recebe o título de cidadão honorário de Uberlândia, MG.
Dia 02 de 1995
Divaldo Pereira Franco concede entrevista à TV C. 12 de Cochabamba, Bolívia.
Dia 03 de 1944
Nasce em Apucarana, PR, Milton Gonçalves, trabalhador espírita da região noroeste do Estado. Foi Presidente da 8ª União Regional Espírita, sediada em Paranavaí, onde desencarna em 2 de outubro de 1994.
Dia 03 de 1949
Em Liège, Bélgica, desencarna José Lhome, divulgador do Espiritismo, Presidente da Federação Espírita da Bélgica. Nascido na mesma cidade, em 14 de junho de 1881.
Dia 04 de 1978
Em Teresópolis, RJ, o Grupo Espírita Isabel, a Redentora realiza a Primeira Semana Espírita da cidade,... Saiba mais...