Sobrevivência da alma, mesmo que de forma distorcida, é cada vez mais abordada na TV

Conseguira chegar ao Centro Espírita em cima da hora. Pouco antes do portão de entrada, aconteceu um imprevisto: alguém aflito me chamou. “Por que eu?!” , pensei, não pude evitá-lo nem me fazer de surdo a quem a mim, ofegante, se dirige às pressas. Fui escolhido entre alguns que, como eu, chegara naquele mesmíssimo instante.

Eram duas mulheres: uma de uns 25 anos e a outra de meia idade; aproximei-me da jovem na penumbra em um canto discreto ao lado do portão:

- Senhor! Poderia ser um minutinho, por favor?

- Pois não, lhe respondi. Só que estou em cima da hora... Não poderíamos falar depois da palestra? Vocês não gostariam de entrar? Não faz mal, pelo contrário...

- Não! Não vamos entrar, atalhou a jovem. Minha mãe, sabe, moço, tem um problema: não dorme há meses e vê todas as noites “almas de pessoas mortas”, principalmente a alma ou o vulto da minha avó falecida há quinze anos. Pusemo-nos em alerta das astúcias do Diabo... Fizemos cultos, exorcismos... até que parou. Mas voltou: além da vovó agora ela vê a minha tia e, com certeza, mamãe não enlouqueceu, e nossas parentas não são o capeta disfarçado... Vovó e titia eram fiéis servas do Senhor...

Interrompi insistindo ao perceber o início da reunião, não queria perder os primeiros instantes:

- Não querem mesmo entrar?...

- Obrigada, respondeu a jovem num misto de inquietação de consciência e receio, a olhar para os lados, de esguelha.

- Então, que vieram fazer aqui?

- Eu não suporto mais ver mamãe nesse sofrimento, disse a moça, chorosa. Antes que minha irmã a internasse como louca, desesperada, vim parar aqui. Que o senhor me diz já que vocês, espíritas, mexem com essas coisas?!...

"Vocês espíritas mexem com essas coisas"... É sempre aquela referência segundo a qual os médiuns espíritas seriam mágicos, quiromantes, cartomantes, necromantes, isto é, adivinhos por meio de cadáveres, prática esta de antigos hebreus no tempo de Moisés, com base me Levítico, 19:31 e Deuteronômio, 18:10/12. Como bem o sabemos, Espiritismo não diz respeito a mágica, leitura de mão, de cartas, tampouco a paranormais e médiuns que cobram consultas, exploradores da credulidade alheia. Quisera eu ter podido asseverar tais razões àquela moça; mas tudo bem; foi melhor assim.

- Olha, não posso dizer em cinco minutos tudo o que ocorre com a sua mãe, mas posso adiantar: não se trata de artimanhas do Diabo; pelo contrário, são coisas de Deus. Pode ser que a sua mãe seja uma médium vidente, e mediunidade não escolhe crença, expliquei. Rogue com carinho as bênçãos de Jesus por esses Espíritos, filhos de Deus como eu, você e todo o mundo, por sinal, o "amai o vosso próximo como a si mesmo" não distingue em absoluto ninguém: vale pra todos, "vivos" e "mortos".

A jovem, surpresa, meneou afirmativamente a cabeça e completei:

- Se não se ofende, aceite esse impresso: Iniciação ao Conhecimento da Doutrina Espírita *, e procure ler O Livro dos Espíritos, de Allan Kardec **. Concedi-lhes essas duas obras que trazia na minha inseparável pastinha de couro. Aí, elas se foram sem pronunciar sequer uma palavra, enfim, graças ao bom Deus, pude entrar.

Ora, Espíritos!... Estão em toda parte, vêem tudo ou quase tudo que fazemos, rodeiam-nos. Não há barreira material capaz de deter tais individualidades dotadas de livre-arbítrio, elas diferem de nós, encarnados, apenas por sua natureza sutilíssima. Os Espíritos podem conhecer os nossos mais secretos sentimentos, até os que de nós mesmos escondemos, é inútil fingir, e quando estamos sozinhos, escondidos em qualquer recesso, aí é que costumam nos ver, se concentrar em nossos pensamentos e atos.

E se alguém vê um Espírito, há em verdade uma justificativa. Bons e maus Espíritos, Deus permite a um ou a outro se apresentar aos que com eles se harmonizem: os bons se harmoniza com os que tendem para o bem, para as virtudes cristãs; os maus, com os que tendem para os vícios, o pessimismo, o mal. Que são "almas de pessoas mortas", vistas pela senhora senão os Espíritos a confirmar sua sobrevivência no Além?

Disse que a mãe da moça poderia possuir o recurso da vidência. Nem todos os que apresentam certo grau de sensibilidade mediúnica permanecem assim: há, por exemplo, casos passageiros que não passam de desequilíbrios provocados por alguma obsessão. Dissemos que seria provável porque, ao cessar certa sensibilidade, a pessoa acaba sabendo que tudo acontecera para o seu despertar moral, acordando-a para as causas essenciais, sem que necessite atuar como intermediária dos Espíritos.

Esse foi um dos incontáveis casos que ocorrem e têm ocorrido com homens e mulheres em toda a parte. Os Seres Desencarnados podem se comunicar com alguém de seu interesse e não há quem, pelo menos em sonho ou por pressentimento, não lhes tenha sentido a presença - é próprio da criatura humana. A influência dos Espíritos, a visão deles, especialmente, têm acontecido em todas as partes de nosso globo terrestre.

Não adianta tapar o Sol com a moeda, exclamar contra o fato da comunicação dos que transpuseram o portal da eternidade; é remar contra a maré. Os verdadeiros laços de amor jamais se rompem com o fenômeno da morte, haja vista inúmeros relatos de Além-Túmulo, via psicográfica, os quais os comprovam - quantas mães não se consolaram?! (e coração de mãe não se engana!) A possibilidade nossos entes queridos estarem ativos do outro lado da existência muito reconforta!

Admitir os Espíritos, a sua retomada de uma forma física, a sua capacidade de conosco falar, não prejudica ninguém. Admiti-los, não depende da classe a, b ou c, de nível de escolaridade, de religião, e sim de adiantamento do senso moral, de espiritualidade. Há mais arrogância que certeza nos contraditores, e não há quem não tenha ao menos ouvido contar uma história a respeito do Outro Mundo ou visto uma "assombração".

A sobrevivência da Alma, quer dizer, do Espírito encarnado, é assunto que interessa... rentável... Relatos pessoais, a vasto campo da própria literatura mediúnico-espírita despertaram especialmente a atenção de autores de telenovelas, de cineastas. Não é à toa que o tema dá ibope, ultrapassa recordes de bilheteria e impele capitalistas a fornecer mais e mais capital à indústria do entretenimento.

Ghost, O Outro lado da VidaVoltar a Morrer (Dead Again, 1991), Ecos do Além (Stir of Echoes, 1999), Falando os Mortos (Talking to Heaven, 2002) são também películas a respeito do assunto com razoável traço de seriedade, afora telenovelas, tais como: A Viagem (1975 e 1994), O Profeta (1977 e 2006), Páginas da Vida (2006) e outras novelas que, como esta última, incluíram superficialmente uma entre duas ou mais cenas de fenômenos mediúnicos.

Em geral, as referidas obras não expressam a veracidade acerca das relações entre os dois aspectos da existência. Há exageradas cenas místico-fantasiosas, incoerências que fogem daquilo que, para nós, é muito claro e simples, embora reconheçamos serem filmes e novelas produzidos mais com intuito de se obter lucro do capital investido que mostrar a realidade tal como a sabemos, achamos correto e oportuno.

Muitos desacreditam no que damos por certo, negam as relações entre Espíritos e homens. Antes, dissessem: "eu não quero acreditar" que: "não acredito", portanto, provas não faltam, e científicas! Provar que Espíritos não existem e que eles não podem conosco se comunicar, até o presente, ninguém provou. Há, porém, quem os aceitem, mais incertos, dizem crer em energias (...), outros divagam vaidosos ou se julgam à margem do assunto, respondendo ou não por monossílabos ou por evasivas maliciosas.

Faz oito anos que aconteceu o que acabei de contar, e quem sabe se aquela senhora não resolveu o "problema"? Se ela e a filha não transigiram com o preconceito, o radicalismo de seita, já tomaram conhecimento de que Espíritos não são diabos nem demônios conforme têm como verdadeiro, e sim individualidades longe de ser algo abstrato, vago, indefinido, concretas como qualquer ser de carne e osso deste orbe.

Espíritos dão audiência e nunca sairão da moda, não são invenção dos espíritas e existem desde todo o sempre. Eles têm se comunicado com homens desde que as criaturas humanas existem nesse planeta. Por que Deus detestaria o que nunca pudesse acontecer?! Dizem que em Lucas, 17:26, estaria a prova da impossibilidade de os Espíritos se comunicar com os homens ***. Se Deus "abominasse" realmente o processo mediúnico, em vez de dez, seriam 11 os mandamentos descritos no cimo do Monte Sinai.

Davilson Silva

O autor é jornalista, escritor, expositor espírita e presidente-fundador da Fraternidade Espírita Aurora da Paz (Feap), São Paulo, Capital.

* Interessante opúsculo de 12 páginas cujo conteúdo resume brilhantemente os princípios básicos da Doutrina Espírita, distribuído gratuitamente pela Associação Beneficente dos Centros Espíritas do Ipiranga, São Paulo, Capital.

** KARDEC, Allan. O Livro dos Espíritos, 62. Ed. São Paulo: Lake - Livraria Allan Kardec Editora, 2001.

*** "E, além de tudo, está posto um grande abismo entre nós e vós, de sorte que os que querem passar daqui para vós outros não podem, nem os de lá passar para nós".


Revista Internacional de Espiritismo - Matão / Fev. 2007


Acesse o cartaz do evento e ajude a divulgar: Clique Aqui

Notícia Anterior | Posterior

Datas Importantes do Espiritismo

OUTUBRO

Dia 01 de 1923
Em 1923, em Buenos Aires, Argentina, fundação da revista La Idea, por Angel Scarnichia.
Dia 01 de 1946
Em 1946, desencarna em Belo Horizonte, Minas Gerais, Irma de Castro Rocha, conhecida no Movimento Espírita como Meimei. Nascida em Mateus Leme, Minas Gerais a 22 de outubro de 1922.
Dia 01 de 1990
Em 1990, Divaldo Pereira Franco concede entrevista de 10 minutos à TV MNE Portuguese, em Johannesburg, África.
Dia 01 de 1994
Em 1994, Divaldo Pereira Franco recebe o título de cidadão honorário de Ilhéus, Bahia.
Dia 01 de 2003
Em 2003, é criado o Momento em Casa, oferecendo a possibilidade de receber, aos que se cadastrem através do site do Momento Espírita, de segunda a sexta, de 3 a 4 textos, selecionados a partir dos transmitidos, na semana, através das Rádios, na Capital do Estado.
Dia 02 de 1860
Em 1860, nasce em Ayerbe, província de Huesca na Espanha, Angel Aguarod. Desencarna em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em 13 de novembro de 1932.
Dia 02 de 1870
Em 1870, nasce na cidade de Palmeira, PR, o professor José Nogueira dos Santos, que foi o sexto Presidente da Federação Espírita do Paraná. Desencarna em Curitiba, no dia 24 de julho de 1956.
Dia 02 de 1920
Em 1920, em Paraíba do Sul, Rio de ... Saiba mais...