Entrevista com Marcel Souto Maior para FEB

Confira entrevista realizada com Marcel Souto Maior, jornalista, escritor e autor brasileiro de diversos livros , a exemplo de Kardec – a biografia, obra utilizada como base para o filme Kardec.



1 – Marcel, você como jornalista apura e levanta dados e fatos sobre os temas trabalhados. Na Doutrina Espírita o que de fato lhe intrigou mais em todos estes anos de estudo e descobertas?

O que mais me impressiona na doutrina é a rede de apoio que ela propaga em todo o país e no exterior. Encaro cada casa espírita como um núcleo de estudos e um polo de solidariedade, bastante alinhados com os valores centrais defendidos por Kardec.

“Fora da Caridade Não Há Salvação”, ele declarou e – com cuidado de fiscal e entusiasmo de divulgador da doutrina, missões difíceis de conciliar – deu início a esta rede de “trabalho em favor do outro”, que encontrou aqui no Brasil o terreno mais fértil para prosperar, graças a exemplos vivos como os de Chico Xavier.

Ao declarar que a vida continua para além do corpo e atestar que somos a soma de experiências ou vivências passadas, o Espiritismo aumenta a responsabilidade de quem encara esta passagem por aqui como uma oportunidade de evolução e aprendizado.

Esta lógica do Espiritismo – baseada no trabalho e no cuidado com o outro – me atrai mais do que os fenômenos mediúnicos, sujeitos a fraudes ou autossugestão.

Neste ponto – e em muitos outros – eu me identifico com o professor Rivail. Talvez por isto mesmo, por me identificar com ele, mergulhei no estudo de sua vida.

O que me moveu, durante todo o tempo, foi uma pergunta-chave: o que fez o educador cético – que rejeitou, a princípio, fenômenos como as mesas girantes – mudar de vida e de nome, aos 53 anos, para dar voz aos espíritos?

O que o transformou no principal divulgador e fiscal do movimento e o fez enfrentar adversários da Imprensa, da Igreja e das Ciências, ao longo de mais de uma década de trabalho duro e incessante?


2 – Vamos encontrar respostas a estas perguntas nas telas do cinema?

Sim. O filme de Wagner de Assis reconstitui os principais marcos da transformação do professor Hippolyte Léon Denizard Rivail em Allan Kardec. A descrença dos primeiros tempos (quando definia as “almas do outro mundo” como meras superstições), sua resistência a investigar as “mesas girantes” (que encarava como truques de ilusionismo), sua decisão de usar métodos científicos para por a prova as mais diversas médiuns de diferentes idades e classes sociais e, finalmente, sua convicção na presença e influência dos espíritos, a quem passa a “entrevistar” para gerar a obra fundadora da doutrina: “O Livro dos Espíritos”. Não por acaso o slogan do filme é “A História por trás do Nome”. É esta história – a história do “nascimento” de Allan Kardec – que o filme reconstituiu.


3 – Nas pesquisas realizadas na Biblioteca Nacional apontaria alguma descoberta inusitada no trabalho da revelação da doutrina dos Espíritos trazido por Kardec?

Quando mergulhei na leitura e releitura das edições originais da “Revista Espírita”, fiquei muito impactado por alguns dos textos assinados por Kardec. Textos de missionário (divulgador da doutrina) e de fiscal também. Um deles, em especial, me marcou bastante. Foi uma resposta de Kardec aos ataques à doutrina, feitos por integrantes da Imprensa e das Ciências, muitos deles marcados por ironia. Respaldado por cartas vindas de todo o mundo – algumas delas assinadas por leitores que desistiram de se matar depois de ler obras como “O Livro dos Espíritos” – , Kardec desabafou em seu artigo: “Vocês estão rindo de que? Será que não percebem? O materialismo mata!” Neste mesmo texto, ele disse que trocaria todos os títulos, diplomas e honras da carreira de professor e ex-membro da Academia de Ciências por uma única carta destas. Testemunhos de quem encontrou novos sentidos e significados para a própria vida ao entrar em contato com o Espiritismo.


4 – Professor Denizard Rivail sendo levado às telas de todo o país. O que podemos esperar desta história?

Transformação. Espero que muita gente saia do cinema e vá às livrarias adquirir as obras de Kardec. Que respostas ele conseguiu trazer “do mundo de lá”? Como ele conseguiu traduzir, em seus livros, a dinâmica e a lógica do chamado Mundo Invisível? O filme tem tudo para despertar a curiosidade do público leigo e estimular ainda mais os estudos e práticas dos discípulos de Kardec.


5 – Na dedicatória do livro Kardec já traz a aspiração para transformar a obra em filme. Como é para o autor ver seus livros sendo base para produções cinematográficas?

Fico muito feliz – honrado mesmo -, mas tomo muito cuidado para ficar com os “pés no chão”. O mérito por estas adaptações não é meu. É de Chico Xavier e de Kardec, que construíram trajetórias únicas ao longo de suas jornadas. Trajetórias marcadas por dois sentidos raros, que exigem foco e coragem: o sentido de Missão e o sentido de Doação. Só missionários como eles constroem trajetórias assim. Histórias de vida que merecem filmes com a qualidade, e o requinte de reconstituição histórica, de “Kardec – a história por trás do nome”.


Fonte: FEB


Acesse o cartaz do evento e ajude a divulgar: Clique Aqui

12/3/2019

A+ | A- | Notícia Anterior | Posterior

Datas Importantes do Espiritismo

SETEMBRO

Dia 01 de 1865
Nasce Leôncio Correia, em Paranaguá, Paraná. Foi Presidente da Liga Espírita do Brasil, depois Liga Espírita do Estado da Guanabara. Desencarna em 19 de junho de 1950, no Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
Dia 01 de 1873
Nasce Olímpio Alves Lisboa, em Guarapuava, Paraná. Foi Presidente da Federação Espírita do Paraná de 11.01.1920 a 09.01.1921 e de 08.01.1922 a 14.01.1923. Desencarna em Curitiba, em 13 de dezembro de 1941.
Dia 01 de 1875
Em Natal, Rio Grande do Norte, por Manoel Gomes da Silva, editado o primeiro jornal espírita do Rio Grande do Norte
Dia 02 de 1914
Desencarna Eugene Auguste Albert de Rochas, magnetizador e pesquisador dos fenômenos mediúnicos. Nasce em 20 de maio de 1837, em Saint-Firmin, Alpes, na França.
Dia 02 de 1982
Divaldo Pereira Franco realiza conferência na Universidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul.
Dia 02 de 1984
Fundada a Sociedade Espírita Meimei, em Campo Mourão, Paraná.
Dia 03 de 1951
Em Goiânia, Goiás, fundada a Federação Espírita do Estado de Goiás.
Dia 03 de 1983
Divaldo Pereira Franco recebe Diploma da Federação de Estabelecimentos de Ensino Superior, em razão de sua conferência nas Faculdades Unidas de Bagé, Rio Grande do Sul.
Dia 03 de 1990
Div... Saiba mais...