A visão espírita amplia a definição dada para a depressão, de mero distúrbio fisiológico para as carências e dificuldades do espírito imortal

Segundo a Organização Mundial da Saúde, os últimos 25 anos do século passado caracterizam-se por elevados índices de depressão e, em 2020, esta será a segunda moléstia que roubará tempo de vida útil da população, perdendo apenas para as doenças do coração.

Ela não é apenas um baixo astral passageiro, mas uma profunda tristeza de longa duração, que pode ter seu início até mesmo na infância. Embora a probalidade de ficar deprimido aumente com a idade, atualmente a incidência tem sido bastante grande entre os jovens.

Há muito, as ciências comportamentais e a Medicina têm buscado explicações e solução para a depressão. Só no mercado brasileiro, existe imensa variedade de antidepressivos.

E por desinformação, muitas pessoas chegam a acreditar que tais medicamentos sejam a pílula mágica capaz de fazer o depressivo mudar de infeliz para feliz. No entanto, se eles não corrigirem uma falha química cerebral que impede a sensação de bem-estar-funcionam apenas como um anestésico para os sentimentos depressivos, já que as causas destes são muito mais complexas e profundas.

Embora a medicina afirme, baseada em consistentes estudos, que a depressão é um distúrbio fisiológico do cérebro daí a necessidade de tratamento clínico- o conhecimento espírita amplia este entendimento para as carências e dificuldades do espírito imortal, de vez que a ciência busca justificativas na presente existência, mas o Espírito busca e analisa causas mais profundas, com base nas experiências reencarnatórias e evolutivas de cada um e ainda considera a possibilidade de uma negativa influência espiritual sobre a pessoa, denominada obsessão.

Além de validar o tratamento médico, psicológico ou psiquiátrico, a Doutrina proporciona o tratamento espiritual - através das palestras doutrinárias e passes magnéticos – e incentiva o hábito de leituras esclarecedoras e edificantes, para que a pessoa melhor compreenda a sua realidade como espírito imortal reencarnado e busque mais eficientemente a elevação de sua auto-estima.

Matéria na integra você confere no Jornal Correio Fraterno- Janeiro/Fevereiro/2006 – Silvia Helena é espírita de berço e palestrante na cidade de Rio Claro, interior de São Paulo – E-mail: sivipessenda@uol.com.br


Fonte: jornalismo RBN


Acesse o cartaz do evento e ajude a divulgar: Clique Aqui

Notícia Anterior | Posterior

Datas Importantes do Espiritismo

SETEMBRO

Dia 01 de 1865
Nasce Leôncio Correia, em Paranaguá, Paraná. Foi Presidente da Liga Espírita do Brasil, depois Liga Espírita do Estado da Guanabara. Desencarna em 19 de junho de 1950, no Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.
Dia 01 de 1873
Nasce Olímpio Alves Lisboa, em Guarapuava, Paraná. Foi Presidente da Federação Espírita do Paraná de 11.01.1920 a 09.01.1921 e de 08.01.1922 a 14.01.1923. Desencarna em Curitiba, em 13 de dezembro de 1941.
Dia 01 de 1875
Em Natal, Rio Grande do Norte, por Manoel Gomes da Silva, editado o primeiro jornal espírita do Rio Grande do Norte
Dia 02 de 1914
Desencarna Eugene Auguste Albert de Rochas, magnetizador e pesquisador dos fenômenos mediúnicos. Nasce em 20 de maio de 1837, em Saint-Firmin, Alpes, na França.
Dia 02 de 1982
Divaldo Pereira Franco realiza conferência na Universidade de Caxias do Sul, Rio Grande do Sul.
Dia 02 de 1984
Fundada a Sociedade Espírita Meimei, em Campo Mourão, Paraná.
Dia 03 de 1951
Em Goiânia, Goiás, fundada a Federação Espírita do Estado de Goiás.
Dia 03 de 1983
Divaldo Pereira Franco recebe Diploma da Federação de Estabelecimentos de Ensino Superior, em razão de sua conferência nas Faculdades Unidas de Bagé, Rio Grande do Sul.
Dia 03 de 1990
Div... Saiba mais...