Divaldo Pereira Franco

Divaldo Pereira Franco nasceu em 5 de maio de 1927, na cidade de Feira de Santana, na Bahia. Filho de Francisco Pereira Franco e Ana Alves Franco (desencarnados), desde a infância que se comunica com os Espíritos. Cursou a Escola Normal Rural de Feira de Santana, recebendo o diploma de professor primário, em 1943.

Ainda jovem, foi abalado pela morte de seu irmão mais velho, o que o deixou traumatizado e enfermo. Foram consultados diversos médicos especialistas, sem obter nenhum resultado satisfatório. Foi a mão amiga de dona Ana Ribeiro Borges que o conduziu à Doutrina Espírita, libertando-o do trauma e trazendo a consolação tanto para ele, como para toda a família.

Quando criança, a amizade sincera de um pequeno Espírito alegrou ainda mais os seus dias. Era o índio Jaguaraçu, que quer dizer: "Onça Grande". Ele vinha brincar com Divaldo no quintal de sua casa todos os dias. O índio aparentava ter uns cinco anos. Os dois amiguinhos brincavam sem perceber as horas passarem. Subiam em árvores, corriam pelo quintal, armavam lindos presépios na época de Natal. Colhiam musgos e folhagens para enfeitar as lapinhas, como eram chamados os presépios.

Aos 18 anos, em 1945, Divaldo mudou-se para Salvador, tendo sido aprovado no concurso para o IPASE (Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores do Estado), onde ingressou em 05 de novembro de 1945.

Espírita convicto, fundou o Centro Espírita Caminho da Redenção em 7 de setembro de 1947. Dois anos depois iniciou a sua tarefa de psicografia. Diversas mensagens foram escritas por seu intermédio. Sob a orientação dos Benfeitores Espirituais guardou o que escreveu, até que um dia recebeu a recomendação de que queimasse tudo o que escrevera até ali, pois não passava de simples exercício.

Com a continuação, vieram novas mensagens assinadas por diversos Espíritos, dentre eles, Joanna de Ângelis, que durante muito tempo apresentava-se como "um Espírito Amigo", ocultando-se no anonimato à espera do instante oportuno para se apresentar. Joanna revelou-se como sua orientadora espiritual, escrevendo inúmeras mensagens, num estilo agradável repassado de profunda sabedoria e infinito amor, que conforta as pessoas necessitadas de diretriz espiritual.

Em, 1964, Joanna de Ângelis selecionou várias mensagens de sua autoria e enfeixou-as no livro "Messe de Amor", que se tornou o primeiro livro psicografado por Divaldo. Atualmente, o médium é recordista e conta com 200 títulos publicados, incluindo os biográficos que retratam a sua vida e obra.

Fonte: site da Mansão do Caminho

O Orador

Começou a fazer palestras em 1947, difundindo a Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec e hoje apresenta uma histórica e recordista trajetória de orador no Brasil e no exterior, sempre atraindo multidões, com sua palavra inspiradora e esclarecedora, que já esteve em todos os continentes da Terra, trazendo diferentes temas sobre os problemas humanos e espiritualidade.

Há vários anos, viaja em média 230 dias por ano, realizando palestras e também seminários, no Brasil e no mundo. Em levantamento preliminar, sua atuação é a seguinte:

Brasil

Sua primeira palestra espírita ocorreu em 27 de março de 1947, em Aracaju (SE), na União Espírita Sergipana, iniciando uma incansável jornada de divulgação doutrinária em todo país.

No Brasil, nestes 51 anos, esteve em mais de 800 cidades, onde realizou mais de 6.000 palestras, concedeu mais de 870 entrevistas de rádio e TV, em cerca de 300 emissoras e retransmissoras, tendo recebido cerca de 310 homenagens da maioria dos Estados do país, possuindo 73 títulos de cidadania honorária, dos principais Estados, capitais e municípios brasileiros, concedidos por unanimidade de votos. Já falou em várias universidades e nos principais teatros e auditórios do país.

Américas

Sua primeira palestra no exterior foi em Buenos Aires, Argentina, em 1962. Em 36 anos, esteve em 18 países das Américas, em mais de 110 cidades, onde realizou mais de 800 palestras, concedeu mais de 180 entrevistas de rádio e TV para cerca de 113 emissoras, inclusive por três vezes na Voz da América, a maior cadeia de rádio do continente. Recebeu cerca de 70 homenagens de vários países, destacando-se o honorífico título de "Doctor Honoris Causa em Humanidades", concedido pela Universidade de Concórdia de Montreal, no Canadá, em 1991. Por 3 vezes fez palestra na ONU, no Departamento de Washington e fez conferências em mais de 12 universidades do continente.

Europa

Sua primeira palestra na Europa ocorreu em Portugal, em 1967, quando o país vivia ainda sob o período da ditadura Salazar. Nestes 31 anos, esteve em 20 países da Europa, em mais de 80 cidades, onde realizou mais de 400 palestras, concedeu mais de 50 entrevistas de rádio e TV para cerca de 40 emissoras, tendo recebido mais de 20 homenagens de vários países; fez conferências em cerca de 10 universidades européias e, por duas vezes, na ONU. Departamento de Viena.

África

Sua primeira ida à África foi em 1971, em Johannesburg, e já esteve até agora em 5 países, em 25 cidades, realizando 150 palestras, concedendo 12 entrevistas de rádio e TV, em 11 emissoras; recebendo 4 homenagens.

Ásia

Sua primeira ida à Ásia foi em 1988, na Índia, e até agora já esteve em 5 países, em 10 cidades, realizando mais de 14 palestras.

É reconhecido como um dos maiores médiuns e oradores espíritas da atualidade.

Sua produção psicográfica é superior a 150 obras (com tiragem de mais de 5 milhões de exemplares), das quais 70 já foram traduzidas para 15 idiomas.

Em 1952, juntamente com seu fiel amigo Nilson de Souza Pereira, fundou, no bairro de Pau da Lima, a Mansão do Caminho, através da qual tem prestado inestimável serviço de assistência social a milhares de pessoas carentes da cidade de Salvador.


A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a)