Lições de Herculano Pires sobre a Vida e a Morte

Março chega e a saudade de Herculano fica mais intensa.
Vinte e um anos se passaram! Tanto tempo! Parece que foi ontem: a desencarnação, a surpresa (infarto!), a multidão, a despedida do corpo físico.
As lembranças surgem carregadas de música e cores. Foi a libertação de um grande guerreiro que, terminada a tarefa, projetou-se no Mundo Espiritual. Interexistente, mesmo encarnado habitava a cidade dourada de Mário Quintana (Baú de espantos).
Alegre, corajoso, otimista, lutador. Chega feliz, nada tem a temer. Realizou tudo que pretendia e muito mais: 84 trabalhos cujo valor foi e é reconhecido.
Reencontro o pai Herculano através da imaginação. O lugar é lindo! Árvores, pássaros, flores, músicas. Tudo o que ele apreciava na Terra.
- Pai! Como você está bem! Mais moço do que eu!
- Larga de tolice, menina; é que você me ama!
- Saudade, pai! Imensa! Você era a luz maior da nossa casa! A nossa alegria! A mãe "apagou" um pouco com a sua mudança para o Mundo espiritual.
- Filha! Não existe morte, nem separação, ou qualquer barreira para os que se amam. Continuam unidos.
- Sei, pai. Você foi um grande professor. Mas a morte impede o contacto físico. Saudade de ouvi-lo, abraçá-lo, escutar o barulho da máquina de escrever no seu quarto. Ouvir as suas histórias, as suas risadas, a conversa agradável. O seu sapato velho produzia um ruído gostoso pela casa. O ruído dos ventiladores amenizando o calor que você sentia. E o "chiado" do bule de café fervendo no fogão (tomava café o dia inteiro).
Saudade de vê-lo rodeado de livros no quarto-escritório.
As minhas tardes perderam um pouco da graça, porque não posso mais trocar idéias com você.
Ah! Pai! A morte ainda é difícil na Terra. A separação dói muito, pai!
- Filha! Que materialismo! Você está apegada ao corpo físico, à "energia condensada". Somos espíritos, filha! Pensamento e vontade! A comunicação, mesmo no mundo material, é realizada pelo pensamento.
- Sei de tudo isso, papai, no campo da Razão é muito fácil! Mas no dos sentimentos é mais difícil. Como a vida na Terra fica deliciosa quando estamos lado a lado com os nossos queridos, a nossa família espiritual. Nossos Natais, pai! Os aniversários, o chá da tarde!
- Fico feliz, querida, ao ouvir isso, porque procurei saber ser o melhor possível. Mas Heloisa, como dizia e repito, a minha sorte foi a de ter recebido jóias como filhos; vocês foram maravilhosos (É o que ele pensava). A esposa Virgínia é inigualável (é o que todos pensamos).
- Continua o mesmo, papai. Educando pelo amor e convidando a "crescer" através da auto-imagem positiva.
- E existe outro jeito, querida? Como entender o "Sois deuses e Luzes", de Jesus?
- Tem razão, pai. Mas vou lhe pedir um favor: pode me auxiliar a encontrar com você durante o sono e a lembrar do sonho?
- Ah! Querida menina! Os reencontros acontecem sempre, mas, voltados para as necessidades da nossa encarnação, esquecemos ao acordar. É a lei! Lembra do capítulo de O Livro dos Espíritos sobre o sonho e o sono?
- Claro. "Ás vezes desejamos acordados encontrar alguém; mas dormimos e vamos atender a outros compromissos. Temos como que duas vidas em uma só: a vida no Mundo físico e a do Mundo espiritual". Mas se der um jeito, ajude-me a lembrar do sonho, certo? Precisamos da sua presença luminosa e bem humorada em nossas vidas.
- Conte comigo. Mas quando for ficar triste lembre que hoje, se encarnado, o meu corpo físico estaria em um estado terrível. Agradeçamos a Lei do Amor desse Pai Justo e Misericordioso, que nos permite a expressão no corpo energético indestrutível.
- Vou lembrar, papai. E das palavras da sua poesia linda sobre a morte e a vida: "Não procures no túmulo vazio, alma querida que deixou a Terra ...
...Hás de encontrá-lo quando num momento, vencendo a ilusão do teu conflito,
Possas falar-lhe pelo pensamento..."


A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a)