Mensagem da Paz

    Às vezes, cismas, coração amigo,
    Como varar a treva, a cilada e o perigo,
    Fazendo luz no próprio ser...
    Das perguntas que fiz, onde a aflição me encosta,
    - Esquecer, esquecer...

    Perguntei à roseira, aberta em pétalas e cores,
    Como agüenta espinhos, produzindo flores
    Por ofício e dever...
    Balançando a folhagem viridente,
    A roseira me disse simplesmente
    - Esquecer, esquecer...

    Indaguei do diamante burilado
    Que lâmina lhe dera a forma de bordado,
    Por estrela a esplender...
    E a pedra, recordando lágrima perdida,
    Respondeu, como quem louvasse o sofrimento e a vida:
    - Esquecer, esquecer...

    Inquiri da mulher pela maternidade,
    Como criar um filho e dá-lo à Humanidade,
    Amando intensamente, a chorar e a sofrer...
    Comentando o progresso e o mundo,
    Em novo brilho,
    Ela disse, beijando as mãos do próprio filho:
    - Esquecer, esquecer

    Desse modo, também, alma fraterna e boa,
    Se buscas elevar-te, esquece-te e abençoa,
    Não fujas à lição, se queres aprender...
    Serve e conquistarás o reino do amor puro,
    Ouvindo a voz do Céu, chamando-te ao futuro:
    - Esquecer, esquecer...


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior | Ouça o conteudo



    Acesse todas as Mensagens