O Sexo no Mundo

    Certa noite proclamou
    Um dos líderes do Umbral:
    “Propaguemos pelo mundo,
    Nosso fogo sexual!
    Que ele queime mais que a guerra!
    Deixe em cinzas a Inglaterra!
    O sexo nos dará a Terra!
    Avante, ó forças do Mal!”

    E um exército espantoso
    De Espíritos sensuais,
    Invadiu todo o planeta,
    Desde o campo às capitais!
    E com grandes lutas cruas,
    Dominou as praças, ruas!
    E hoje andam quase nuas...
    Até mães angelicais!

    E o sexo, assim instigado,
    Fez-se do planeta o rei!
    Todo ser é um vassalo,
    Que se rende à sua lei!
    E o Homem preso à loucura,
    No Brasil ou em Singapura,
    Hoje ri da compostura,
    Mesmo um padre ou mesmo um frei!

    E os Espíritos trevosos
    Estenderam sua ação:
    “Prendamos, agora, os cérebros,
    Afeitos à erudição!
    O sexo é filosofia,
    Quer à noite ou à luz do dia!
    Não importa que alguém ria,
    — Marcusse, escreva a lição!”

    Contaminou-se a Cultura...
    Basta olhar a livraria!
    Eis na vitrine romances,
    Dois não são pornografia...
    Em cada livro — heroína,
    Parenta de Messalina,
    Obras vindas da China,
    Da Itália, França ou da Hungria!

    Acompanha-me, leitor,
    Ao teatro ou ao cinema...
    Olha estes grandes cartazes,
    Cenas do erótico tema...
    E ninguém fica perplexo!
    Até a Arte grita: “Sexo!”
    Fora dele não há nexo...
    Eis do mundo o novo esquema!

    Atravessemos a praça.
    Eis a rua principal!
    Olha as milhares de virgens,
    Já envolvidas pelo Umbral!
    Em casa, mostram prudência,
    Trazem no rosto a inocência,
    Mas que grande experiência
    Na prática sexual!

    Não terão dezoito anos...
    Amam todos, e a ninguém;
    Podem dar aulas de sexo,
    No Oriente, em um harém!
    As outras já têm amantes...
    Trabalham, são estudantes,
    Mas não conhecem Cervantes,
    Confundem Bach com Chopin...

    A Terra pertence às Trevas!
    Está em festas o Umbral!
    Ruíram todas barreiras
    Na fogueira sexual!
    Jovem, velho e até criança,
    Na pobreza ou na abastança,
    Têm com as Trevas aliança,

    E nas costas um punhal!
    Espíritas, companheiros,
    Cuidado com a obsessão...
    Vejo na treva mil olhos,
    Mestres na fascinação...
    Meditai sempre em Jesus!
    Rogai ao Senhor mais luz!
    Cuidado com a vossa cruz!
    Fazei com os Céus união!


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior | Ouça o conteudo



    Acesse todas as Mensagens