A+ | A- | Imprimir | Ouça a MSG | Ant | Post

Perante alguém a condenar alguém,
Destacando algum mal que aconteceu,
Se te inclinas ao fogo da censura,
Dize contigo assim: "Se fosse eu...".

Passa a criança entregue à noite e ao vento,
Amargura, nudez, olhar sem brilho...
Se vais recrimina-la, indaga simplesmente:
"E se fosse meu filho?...".

Desditoso detento vem não longe...
Vozes clamam: "Perdão!... Apedrejai!...".
Ao ver-lhe a humilhação, interroga a ti mesmo:
"E se fosse meu pai?...".

Diante do acusado escarnecido,
Atento ao cerco de infeliz reclamo,
Fita-lhe a dor e pensa: "E se este pobre
Estivesse entre aqueles que mais amo...?"".

Quanta lágrima nunca surgiria,
Quanta força da treva, agindo em vão,
Se em cada coração, à luz da vida,
Houvesse mais amor e compaixão!...

Nosso irmão delinquente!... Junto dele,
Reflete antes de erguer a própria voz:
"Como seria tudo diferente,
Se ele fosse um de nós!...".


Por: Manoel Monteiro, Do livro: Senda para Deus, Médium: Francisco Cândido Xavier


Leia Também:

Mensagens e Ensinamentos: por André Luiz
Na Luz da Indulgência: por Emmanuel
Trabalho e Perdão: por Chiquito de Moraes
A Lição do Perdão: por Momento Espírita
Realidades: por André Luiz

Avalie Esssa MSG

4 Voto(s) 0 Voto(s)

Comentários