Se for Instrução

    Dada a profundidade do texto abaixo, transcrevo-o ao leitor:
    “(...) A instrução é, sem dúvida, a milagrosa alavanca do progresso. Sem ela, perseveraria a mente humana nos resvaladouros da ignorância, confinada à miséria, à ociosidade, à indigência e ao infortúnio, através da delinqüência na praça pública e da correção na penitenciária.
    Mas não basta esclarecer a inteligência, repetiremos ainda e sempre. É imprescindível aperfeiçoar o coração nos caminhos do bem.
    Nero, o tirano, era discípulo de Sêneca, o filósofo.
    Tito, o príncipe admirável, que costumava dizer ´perdi o meu dia´, quando a noite o alcançava sem algum gesto excepcional de bondade, mandou massacrar mais de dez mil israelitas doentes, abatidos e mutilados, depois de arruinar Jerusalém.
    Marco Aurélio, o imperador virtuoso e sábio, consentiu no morticínio de cristãos indefesos.
    Inácio de Loiola, maravilhosamente bem-intencionado, tinha o cérebro cheio de letras quando incentivou a perseguição religiosa.
    Marat, o demagogo sanguinário, era jornalista de mérito e intelectual de renome.
    Todos os fazedores de guerra, ditadores e revolucionários, antigos e modernos, foram incubados no convívio de professores ilustres, de páginas científicas, de livros técnicos ou de universidades famosas.
    Razão sem luz pode transformar-se em simples cálculo.
    Instrução e ciência são portas de acesso á educação e à sabedoria.
    Quem apenas conhece nem sempre sabe.
    A cultura do espírito vai mais longe: ajuda o homem a converter-se em santuário vivo, através do qual se irradia o Poder Soberano e Misericordioso.
    Necessário, pois, semear pensamentos enobrecedores e santificantes, amparando a mente que recomeça a lição de aprimoramento individual.
    Esquecer a infância e a juventude será desprezar o futuro. (...)”

    O texto é transcrição parcial do prefácio de Emmanuel, no livro Alvorada Cristã, ditado pelo Espírito Neio Lúcio ao médium Francisco Cândido Xavier.
    O livro, edição da Federação Espírita Brasileira, de pequenos contos, possui 50 capítulos, consagrados à mente juvenil, constitui valioso curso de iluminação espiritual, conforme declara o próprio Emmanuel no prefácio datado de 21 de junho de 1948.
    Trata-se de prefácio muito oportuno para os tempos que vivemos. Aliás, o próprio livro, repleto de páginas cheias de sentimento paternal e de idealismo superior (utilizando-nos novamente das palavras de Emmanuel), convida-nos a nova postura e principalmente para voltarmos nossa atenção aos jovens e crianças da atualidade, direcionando-lhes a atenção para formação do caráter, para a espiritualização dos sentimentos, visando à formação de cidadãos melhores para o futuro.
    Como informam os espíritos, muitos outros nobres espíritos estão reencarnando no planeta com tarefas específicas na seara do bem. Ajudá-los a despertarem para o compromisso no bem é nosso dever. E a influência moralizadora é a chave da questão, para que não fiquem cegos pela instrução, esquecidos do amor que deve direcionar o conhecimento.
    Como disse o bondoso instrutor em seu prefácio: A cultura do espírito vai mais longe: ajuda o homem a converter-se em santuário vivo, através do qual se irradia o Poder Soberano e Misericordioso.
    Necessário, pois, semear pensamentos enobrecedores e santificantes, amparando a mente que recomeça a lição de aprimoramento individual.
    Esquecer a infância e a juventude será desprezar o futuro.


    A+ | A- | Imprimir | Envie para um(a) amigo(a) | Mensagem Anterior | Posterior | Ouça o conteudo



    Acesse todas as Mensagens