A guerra, a princípio, é a esperança de que a gente vai se dar bem; em seguida, é a expectativa de que o outro vai se ferrar; depois, a satisfação de ver que o outro não se deu bem; e finalmente, a surpresa de ver que todo mundo se ferrou. (Karl Kraus)

As frases postadas não representam, necessariamente, a opinião Espírita ou mesmo do próprio site.