Parnaso de Além-Túmulo

Mensagem

Primeiro livro psicografado por Francisco Cândido Xavier; médium que veio a tornar-se um dos mais profícuos instrumentos da Espiritualidade superior, com um grande número de obras editadas. Parnaso de Além-Túmulo, ditado por 56 poetas da língua portu

Médium: Francisco Cândido Xavier, Espírito: Espíritos Diversos, Páginas:702, Tamanho: 16×23 (cm)

guesa, brasileiros e portugueses, é preciosa coletânea, quer pela variedade de temas, quer pela superior inspiração, apresentando, os autores, uma das provas subjetivas mais robustas em favor da sobrevivência da alma após a morte.No feliz texto “De pé, os mortos!”, o Espírito Humberto de Campos escreve: “Os mortos falam e a Humanidade está ansiosa, aguardando a sua palavra.” Possa desfrutar, o prezado leitor, da mensagem de consolo e esperança contida nesta coleção de poesias de além-túmulo, verdadeiro marco na história da Humanidade.

Alguns Textos Disponíveis

  • Fraternidade por: João de Deus: Fraternidade é árvore bendita, Cujas flores e ramos de esperança Buscam a luz eterna que se agita, Rumo ao país ditoso da bonança. É a fonte cristalina em que descansa A alma humana fraca, errante e aflita; É a luminosa bem-aventurança Da me…
  • A Prece por: João de Deus: O Senhor da Verdade e da Clemência Concedeu-nos a fonte cristalina Da prece, água do amor, pura e divina, Que suaviza os rigores da existência. Toda oração é a doce quinta-essência Da esperança ditosa e peregrina, Filha da crença que nos ilum…
  • Saudade por: Leôncio Correia: Ante o brilho da vida renascente Depois da névoa estranha, densa e fria, Surgem constelações do Novo Dia Muito longe da Terra descontente. Mundos celestes, reinos de alegria E impérios da beleza resplendente Cantam no Espaço, jubilosamente, …
  • Era Uma Vez por: Carmem Cinira: Era uma vez Cármen Cinira, Um coração Cheio de sonho e flor, que mal se abrira Nos jardins encantados da ilusão... Estraçalhou-se para sempre Na voragem Das trevas, dos abrolhos!... Era uma vez Cármen Cinira... Uma suposta imagem Da perene …
  • Anjo de Redenção por: Jésus Gonçalves: Do Céu desceste resplendente e puro E no santo mistério em que te apagas Vestiste-me o burel de sânie e chagas E algemaste-me a lenho estranho e duro. Nume solar pairando no monturo, Terno, escondendo as flores com que afagas, Ouviste-me, em …
  • Quadras por: Casimiro Cunha: Ser cego e nada ver Na triste noite escura, E ver depois a luz Da aurora de ventura; Chorar na escuridão Em dores mergulhado, E após o sofrimento Ter gozo ilimitado; Sorver dentro da treva O fel das amarguras, Depois, buscar o amor Nas…
  • Minha Luz por: Carmem Cinira: Eu era, Dor, a alma rubra e inquieta, A pomba predileta Do prazer, da ilusão e da alegria... Meu coração, alegre cotovia, Saudava alvoroçado O segredo da noite e a luz clara do dia, Quando chegaste de mansinho, Pisando sutilmente o meu caminho…
  • O Senhor Vem... por: Auta de Souza: E eis que Ele chega sempre de mansinho. Haja sol, faça frio ou tempestade; Veste o manto do amor e da verdade, E percorre o silêncio do caminho. Vem ao nosso amargoso torvelinho, Traz às sombras da vida a claridade, E os próprios sofrimentos …
  • Acesse todas as Mensagens